Publicado em : 11/09/2017 - Atualizado em: 11/09/2017 12:58:45

Reunião de reitores, temas do FSM e 4 mil trabalhos moldam Congresso da UFBA 2017

Aproximadamente 4 mil trabalhos científicos, culturais e artísticos serão apresentados por estudantes de graduação e pós-graduação de 15 programas de bolsas durante o Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão da UFBA, de 16 a 18 de outubro próximo.


_DSC2232
Evento repetirá os congraçamentos nos finais de tarde

Aproximadamente 4 mil trabalhos científicos, culturais e artísticos serão apresentados por estudantes de graduação e pós-graduação de 15 programas de bolsas da Universidade durante o Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão da UFBA, de 16 a 18 de outubro próximo. Em paralelo, cerca de 60 mesas vão debater temas fundamentais à preservação e ao desenvolvimento da universidade pública brasileira e a reflexões indispensáveis sobre a atual situação do país.

“O Congresso é um momento de afirmação da pesquisa, da extensão e do ensino feitos na UFBA, dimensões que, numa universidade pública, se caracterizam por sempre buscar qualidade e, ao mesmo tempo, estar em grande sintonia com os interesses da sociedade”, diz o reitor João Carlos Salles. Por isso mesmo, o congresso será aberto “por um ato de amor à universidade pública, por um grande ato em defesa dessa universidade”.

No dia seguinte, a UFBA desfrutará da oportunidade raríssima de ter em seu ambiente a presença simultânea de todos os reitores das universidades federais brasileiras, “porque vai sediar a reunião ordinária do pleno da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior – Andifes”. Salles acrescenta que, além disso, os debates que vão marcar o evento anteciparão vários dos temas que terão lugar no Fórum Social Mundial, no mesmo ambiente da Universidade Federal da Bahia, de 13 a 17 de março de 2018.

Este congresso de 2017 resulta, digamos, do desabrochar do projeto Semente, que até o ano passado levava à comunidade da UFBA uma visão das pesquisas e do trabalho de extensão dos estudantes de diversos programas de natureza acadêmica. E se insere na tradição dos Seminários Estudantis de Pesquisa iniciados na UFBA em 1981, observa o professor Paulo Costa Lima, assessor especial do reitor e um dos responsáveis pela concepção e organização geral do evento.

Neste ano, quase 3,9 mil pessoas já se inscreveram para o evento,  e 2.459 trabalhos, de um total de 2.865 submetidos, foram até aqui aprovados para apresentação, segundo o professor Guilherme Bertissolo, coordenador de difusão da produção da Pró-Reitoria de Extensão (Proext) e um dos membros da comissão de organização do evento.  As inscrições ainda podem ser feitas no site do Congresso.

Mesas e apresentações

Pautas da diversidade estarão representadas no Congresso, que terá também reunião da Andifes e prévia do Fórum Social Mundial

A par de atos e mesas com com a participação dos reitores das universidades federais, seis mesas com representantes de organizações brasileiras e internacionais responsáveis pelo Fórum Social Mundial 2018 abordarão temas como integração latino-americana, democracia e comunicação, a nova onda de intolerâncias, revolução dos gêneros, culturas em resistência e luta e a precarização do trabalho.

Estudantes de escolas secundárias de Salvador também estarão presentes no Congresso, em mais uma edição do projeto “UFBA mostra sua cara”, evento que vem estreitando os laços da universidade com alunos do ensino médio, familiarizando-os com os cursos e as oportunidades científicas, de empreendedorismo e de assistência estudantil da Universidade. O Congresso manterá o formato do Congresso da UFBA 2016, com a realização de atividades acadêmicas nas manhãs e tardes, e eventos artístico-culturais concentrados nos finais de tarde.

 

Fonte: EdgarDigital